quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Viajar implica em levar malas e mais malas. Tudo pode?


Durante uma viagem, é sempre bom ficar atento ao excesso de bagagem para não ter de desembolsar mais dinheiro. Nos vôos internacionais é cobrado 1% do valor do bilhete não-promocional por quilo excedente. Já nos vôos nacionais a tarifa é mais baixa. As empresas aéreas cobram 0,5% da tarifa normal (não-promocional) por quilo a mais. 

Existem dois sistemas de franquia válidos para bagagens despachadas.: peso e peça.

Peso 

O sistema por peso (weight concept) é uma garantia aos passageiros, de acordo com a classe paga no bilhete da passagem, e válida igualmente para adultos e crianças. É aplicável a viagens no Brasil, na América do Sul, entre a América do Sul e o México. 

O passageiro de primeira classe tem direito a 40 quilos de bagagem; na executiva, 30 quilos; e na classe econômica, 20 quilos. À criança de colo, não ocupando assento, é reservada a cota de dez quilos de bagagem, sendo que a soma das dimensões do volume não pode exceder 115 centímetros. Além disso, os pais ou responsável podem levar um carrinho de bebê dobrável, cesta ou cadeira para acomodar a criança. 

Para os vôos domésticos, desde junho de 2004 o limite de peso para bagagem na classe econômica aumentou de 20 quilos para 23 quilos por passageiro. Quem ultrapassar esse limite terá de pagar uma tarifa menor do que antes: o percentual baixou de 1% para 0,5% sobre a tarifa básica, por quilo. 

Portadores de deficiência motora têm direito, além da franquia de acordo com a classe em que viajam, a levar uma cadeira de rodas, que será guardada no porão do avião, ou outro equipamento que auxilie na locomoção, que poderá ser guardado no porão ou despachado. 

Peça 

Já o sistema por peça (piece concept) garante a franquia de bagagem aos passageiros, independentemente da classe tarifária, válido igualmente para adultos e crianças. O sistema é aplicado em viagens do Brasil para o primeiro ponto de parada na Europa e no Oriente Médio; viagens de Portugal para a América do Sul; para Canadá, Estados Unidos e seus territórios; e viagens entre o continente americano (área 1) e o continente asiático, Austrália, Japão e Coréia (área 3) via oceano Pacífico. 

Os passageiros têm direito, em qualquer classe que estiver viajando, a duas peças de bagagem cujas dimensões não excedam 158 centímetros e peso máximo de 32 quilos. À criança de colo que não ocupe um assento é reservado o direito de levar uma mala com 115 centímetros e peso máximo de 70 quilos, além de carrinho de bebê dobrável, cesto ou cadeira apropriada. 

Em ambos os casos, as companhias aéreas costumam oferecer tolerância ao excesso de bagagem a clientes especiais, com cartões de fidelidade. As condições variam conforme a empresa, por isso é importante informar-se com antecedência. 

Vale ressaltar que o transporte de excesso de bagagem fica sempre sujeito ao balanceamento da aeronave no dia do embarque, condição válida para todas as companhias aéreas.


Em resumo:





Saindo do Brasil para EUA, CANADÁ e EUROPA

A maioria das companhias aéreas fazem uma exceção governamental de peso, adotando o limite de 32kg (não é obrigatório, mas a maioria adota). Algumas poucas companhias, sem escritório no Brasil, não informam sobre limite maior de peso ou restringem para 23kgs.Exemplo de companhias aéreas que permitem peças de até 32kgs, gratuitamente:*EUROPA: Swiss, Alitalia, Iberia, Tap, Tam, Air France, KLM, AirChina, Lufthansa, entre outras. Vide quadro com links abaixo.*EUA: Delta, United, American Airlines, Lan, TACA, Aerolíneas Argentinas, Avianca, AirCanada, Copa, Emirates, Jal, entre outras. Vide quadro com links abaixo.

OBS: O site da Continental não mais informa sobre as bagagens, cujo limite geral é de 2 x 23kgs. Há limite de 5 peças por pessoa e cada mala não pode ultrapassar 32kgs (não há excesso acima de 32kgs, pois eles não levam).

Obs: Quaisquer vôos fretados têm franquia diversa (por exemplo, Disney), deverá ser consultado o contrato.Companhias aéreas que não permitem 32kgs: a Alitalia (se for destino dentro da Itália, sem outro ponto na Europa na mesma passagem. Por exemplo: você poderá levar 2x32kgs se for para Paris ou cidade da Europa, mesmo fazendo o stopover em Roma ou Milão – ou seja, ficando alguns dias na Itália. Mas, se sua passagem for Brasil-Itália, então reduz para 2x 23kgs.)






- MULTA / TAXA:

Ao ultrapassar sua franquia gratuita, o restante de malas ou peso deve ser pago. A multa pode ser por excesso de peso; excesso de volume; excesso de dimensões. Por exemplo: Cada vez que se ultrapassar o peso por cada peça: uma multa.

Se a mala for maior de 158cm: outra multa. Se for levar uma terceira peça: uma multa.

VALOR PARA SAIR do Brasil com excesso (aplica regra brasileira): Europa 120 USD | EUA: 100 USD.

VALOR PARA VOLTAR ao Brasil, valem as regras de multa do exterior, depende de cada companhia aérea. Algumas não divulgam na Internet, mas convém ENTRAR NO SITE, para ver o valor da multa quanto estiver retornando ao Brasil. TAM: 150 dólares América do Norte, 120 dólares na Europa

Norma brasileira da ANAC: Regulamento Nosai CT 11

OUTRAS COMPANHIAS:
* a Qantas não mais estabelece o Brasil na exceção de 32kgs, valendo o limite de 2 peças de 23kgs cada. A terceira peça de até 23kgs sai por 105 dólares e cobra 50 dólares para excesso de peso de 23kgs até 32kgs (taxa única). Se o trecho maior for pela Qantas (por exemplo, para Austrália via África), vale o peso da Qantas.

* Aerolíneas Argentinas fazem vôos para os Estados Unidos e Europa, mas aplica diferentes franquias. Para os EUA, usa 2 x 32kgs (sistema de peça). Para Europa, adota 32kgs (sistema de peso), exceto Barcelona, Roma e Madri (2x32kgs) e Australia e Nova Zelândia (2x32kgs). E para América Latina, como São Paulo a Buenos Aires, aplica o sistema de peso de 20kgs totais.

* Lan Chile: para todos destinos exceto América do Sul e Caribe, aplica 2 x 32kgs. Para Mercosul, aplica-se as regras da América do Sul (sistema de peso), veja quadro abaixo.

* South African SAA: permite 2x23kgs quando o destino é Africa, Hong Kong e Perth (Austrália). Demais destinos, deverá contactar a empresa para saber se aplicar o conceito de unidade (peças) a todo o trecho, por exemplo, até Sydney. Porém, quanto ao valor de excesso de bagagem para esses destinos, poderá variar, aplicando ora o conceito de peças, ora o sistema de peso…

* Avianca: permite 10kgs na bagagem de mão saindo de São Paulo. Bagagem despachada 2 de 25kgs para a Colômbia.















* Saindo do Brasil para a América do Sul (Argentina, Chile, Bolívia, etc):20 kgs totais, para classe econômica (outras classes podem ter outros pesos limites). A maioria deixa levar 23kgs.Exemplo de companhias que permitem 23kgs:Tam, Gol, British Airways, LanCompanhia aérea que limita a 20kgs: Aerolíneas ArgentinasExceções pela TAM: Peru: 45kg. Bolívia:30kg.

Exceção Avianca: 32kgs.

Norma brasileira da ANAC: Regulamento Nosai CT12
* QUANTIDADE: em geral, 2 peças (depende da companhia aérea), mas as duas deverão, JUNTAS, pesar até 23kgs.
* MULTA: 1% do preço da passagem por kilo excedido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário